Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Estudantes de curso técnico conhecem laboratórios do IRD

Alunos do curso técnico em segurança do trabalho do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca visitaram o IRD no dia 23 de maio. Foram recebidos por tecnologistas da Divisão de Emergências Radiológicas e Nucleares e do Serviço de Radioproteção do instituto.

Nos laboratórios, os estudantes e professores conheceram um pouco mais sobre as aplicações da tecnologia nuclear na indústria. Puderam ver exemplos de pára-raios radioativos, medidores nucleares e equipamentos usados em gamagrafia, técnicas que possibilitam conferir qualidade a produtos e processos industriais. As aplicações da tecnologia estão muito próximas do cotidiano e nem sempre são percebidas, lembraram alguns dos estudantes. Exemplos dessa aplicação estão nas indústrias química e petroquímica, alimentos, bebidas, entre outras.


No laboratório da área de indústria do IRD, alunos do Cefet RJ conhecem como funciona um medidor nuclear

De acordo com a estudante Thayná Fernandes dos Santos, cursando o terceiro ano, a visita atendeu o interesse do grupo e trouxe informações relevantes para sua formação. O professor da Cefet Franciso Moysés de Carvalho destacou a excelência na recepção dos estudantes. A instituição já encaminha seus alunos para as visitas técnicas há alguns anos.

Na área de emergência, o grupo conheceu equipamentos de proteção individual utilizados em uma emergência real e até experimentaram a sensação de se paramentar com macacões e máscaras. Em uma experiência montada especificamente para o grupo, usaram detectores de radiação e fontes-teste. Puderam observar como o tempo, a blindagem e a distância da fonte são empregados em proteção radiológica. Materiais como papel, água e chumbo foram usados para atenuar a radiação. As fontes emissoras foram camisinhas de lampião, as mesmas empregadas por exemplo em acampamentos.


Especialista mostra os tipos equipamentos de proteção individual utilizados pelos profissionais da área de emergência

O tecnologista José Francisco Pereira explica que naquele lampião de camping ou pesca, equipamento muito prático à venda nas lojas, encontra-se o elemento tório, em forma de óxido. Utilizando exemplos práticos, do cotidiano das pessoas, ele pôde mostrar a importância dos detectores de radiação e a confiabilidade desses instrumentos que, somados ao conhecimento técnico e EPI´s adequados, dão a segurança para o profissional que atua em uma emergência. Há mais de 45 anos o IRD se dedica ao uso seguro da radiação no país.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página