Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Curso sobre ações de resposta a emergências radiológicas reúne profissionais de diversas áreas

O curso ações de resposta a emergências radiológicas foi realizado no IRD de 24 de setembro a 5 de outubro. O treinamento englobou aspectos práticos e aulas teóricas, exercícios de campo simulando situações de emergência e sobre tomada de decisão, além de uso de instrumentação nuclear e equipamentos de proteção individual. Ministrado por profissionais da Divisão de Emergência do instituto, sob a coordenação do tecnologista do instituto Marcos Peter Barbosa, a resposta a situações de emergência envolvendo radiações ionizantes exige a participação conjunta de profissionais de diversas áreas de conhecimento e de várias organizações públicas e privadas.

No curso são apresentados os princípios básicos de proteção radiológica; acidentes radiológicos no mundo; o acidente de Goiânia; categorização de fontes de radiação; o sistema brasileiro de atendimento a emergências; transporte de material radioativo; gerenciamento de rejeitos; efeitos biológicos das radiações; atendimento pré-hospitalar a radioacidentados.


Profissionais de diversas áreas participam do treinamento

Elder Magalhães, responsável pela Divisão, destaca que o curso tem como objetivo divulgar as técnicas utilizadas em emergência e recebe alunos das Forças Armadas, Defesa Civil, profissionais de saúde, alunos estrangeiros em estágio de várias instituições. "Por isso é também um desafio para os professores, porque eles precisam fazer a informação chegar, considerando a formação original do aluno. Os próprios participantes tem de conviver em um ambiente completamente multidisciplinar. Isso reforça a atuação em conjunto, cada um agindo dentro da sua área de competência".


Utilização de equipamentos de proteção individual

A médica Gislane Bastos, Capitã de Corveta do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, atua há um ano em Aramar. Afirmou que vários profissionais que atuam na instalação ou já passaram por Aramar fizeram esse curso. "Foi muito enriquecedor. Sentimos a necessidade constante de novos conhecimentos e atualização".

Para Marcelo Ribeiro, supervisor de segurança do trabalho na Petrobrás, "há coisas que você acha que sabe sobre radiação mas você acaba constatando seu conhecimento limitado." Ele afirmou que divulgará o treinamento em sua área de atuação. A coordenação do curso tem como objetivo que os profissionais treinados atuem como multiplicadores em suas áreas de trabalho.

Estudantes de mestrado do Departamento de Engenharia Nuclear da Universidade Federal de Minas Gerais, Mario Ramos e Mabel Bustos Lopez, bolivianos, são físicos e desenvolvem, respectivamente, modelagem com blindagens e simulação em Monte Carlo. É a primeira vez que participam de um curso na área. "No início foi um pouco difícil. Depois fui compreendendo como profissionais da área pensam e o que está envolvido em pronta resposta a uma emergência. Gostei muito do curso", frisou a estudante, que quer trabalhar em dosimetria.

 

Lilian Bueno/ Ascom IRD
Fotos: Heloisa Barra/ Ascom IRD

registrado em:
Fim do conteúdo da página